5 dicas para manter suas finanças em dia durante a pandemia

Finanças Pessoais

A pandemia causada pelo covid-19 virou o mundo de cabeça para baixo. Diversos setores foram afetados e tiveram que se reinventar, como: comércio, restaurantes, turismo e até às finanças pessoais foram diretamente impactados. Por isso, é preciso se adaptar à essa nova realidade e atualizar o planejamento financeiro. Quem não tinha o costume de se organizar e poupar notou a importância de manter essa rotina. Para se ter uma ideia, a preocupação com a situação financeira, impacta negativamente a saúde e o bem-estar dos colaboradores, bem como seu engajamento no trabalho, é o que diz uma pesquisa realizada pela global da Willis Towers Watson sobre atitudes dos empregados em relação a benefícios.

Saiba mais

Como fazer um bom planejamento financeiro pessoal

8 dicas para utilizar o 13º salário com sabedoria

Flamengo vai lançar seu próprio banco digital em parceria com o BRB

Como manter o orçamento familiar em dia sem complicação

5 dicas para sair do endividamento

De acordo com Ariane Marta, diretora da Brascont Contabilidade, por meio de algumas estratégias e um estudo de cada caso é possível economizar e até organizar as finanças em meio a pandemia. “Essa é a hora de fazer uma análise de todos os gastos e pensar o que é possível reduzir, negociar e até investir. Sabemos que em toda crise nascem novas oportunidades, o momento vai levar a uma reflexão das finanças pessoais e essa organização pode ser a chave para tirar aquele sonho do papel”, conta.

Abaixo, a especialista lista cinco dicas para manter as finanças em dia. Confira:

1 – Faça um novo orçamento pessoal: é fundamental ter um controle financeiro e saber todos os gastos, como conta de luz, água, home office, lazer, valor gasto com refeição, estudo, imposto, entre todos. “Quando sabemos onde e como gastamos conseguimos tomar decisões mais assertivas em relação às finanças. Como com a quarentena tudo mudou, inclusive os gastos, devemos trazer as contas para esse cenário e fazer um novo orçamento de acordo com essa realidade. Caso a pessoa esteja em home office provavelmente as contas de casa, como luz e água, irão vir em um valor mais alto. Se aconteceu uma redução na jornada de trabalho e na receita de pessoa física isso também deve ser analisado, para remanejar tudo e fazer um novo orçamento, rever as despesas supérfluas, também as tarifas de banco, conta de celular, internet e colocar todos esses custos no papel”, aconselha Ariane Marta.

2 – Crie metas para economizar: guardar dinheiro é a principal meta do brasileiro, (49%), pelo segundo ano consecutivo. Outras vontades que dependem de uma organização financeira também estão no ranking da lista, como: fazer uma viagem, (30%), comprar ou reformar a casa, (28%), e tirar as finanças do vermelho (27%), é o que diz dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), mas nem sempre essa é uma tarefa fácil, por isso, a contadora Ariane Marta aconselha definir planos e desejos – o que ajuda a determinar a quantia de dinheiro que será destinada para esse projeto. “Anote todos seus gastos e veja quanto é possível guardar por mês, a partir disso, defina planos de curto, médio e longo prazo, por exemplo, será guardado 5% para uma poupança de emergência, 10% para a reforma de um cômodo ou até alguma quantia para a compra de uma casa ou um projeto que requer mais planejamento financeiro”, completa a contadora.

3 – Determine gastos essenciais e supérfluos: você precisa ou quer? Essa é uma das formas de saber qual a necessidade de cada gasto nas despesas pessoais, por exemplo, todos precisam se alimentar diariamente, mas isso não significa que a comida deve ser comprada de um restaurante. “A quarentena trouxe mudanças até nesse sentido, por exemplo antes o gasto com transporte era essencial, agora com a adoção permanente do home office pode ter se tornado supérfluo, outros gastos também podem ter se modificado como a necessidade de comprar mais botijão de gás, investir em uma estrutura para o trabalho remoto e outros fatores. Além disso, muitas pessoas que não levavam marmita passaram a cozinhar em casa, o que também gera economia”, explica Ariane Marta.

4 – Esse é um bom momento para sair do vermelho: para quem está em uma ‘bola de neve’ esse é um momento importante para renegociar dívidas. “Hoje existem alternativas para quem deseja organizar as finanças, existe a possibilidade de procurar por fintechs que emprestam dinheiro, além disso a Taxa Selic, taxa básica de juros da economia, está baixa – o que torna o momento ainda melhor para fazer acordos. Também existe a possibilidade de reduzir parcelas de financiamento, mas isso deve ser feito com cuidado, porque às vezes faz aquela negociação que reduz a parcela, mas aumenta em 10 anos o financiamento”, esclarece Ariane Marta.

Ainda de acordo com ela, quem perdeu a renda nesse momento de pandemia deve recorrer a todas as medidas que o governo oferece. “É preciso analisar cada caso, mas existem uma série de medidas que vem para ajudar a população, então é preciso ficar atento ao seguro desemprego, auxílio emergencial, entre outros programas. Essa é a hora de se pensar em novas receitas, procurar serviços de acesso remoto, existem alguns grupos e sites que ajudam na questão de trabalhos freelancer. Por isso, é importante rever todos os gastos e até o plano de carreiras para ver se é possível aplicar nesse novo normal o que se sabe fazer”, conta Ariane Marta.

5 – Acompanhe seu progresso e os resultados positivos: poupar dinheiro se torna ainda mais fácil quando é possível ver os resultados. “Anote tudo e veja o quanto falta para alcançar sua meta, quando percebemos que estamos conseguindo manter uma rotina e organização isso estimula e mostra na ponta do lápis os resultados positivos. Defina um dia do mês para verificar seu progresso. Fazer uma análise quanto falta para chegar no objetivo também ajuda a ter consciência sobre as finanças e ainda estimula a manter as finanças em ordem. Com organização e pequenas estratégias é possível manter as finanças em dia e ainda realizar sonhos que dependem do orçamento”, finaliza Ariane Marta.