A hora e a vez das fintechs de nicho

Bancos digitais e fintechs


De acordo com o estudo Fintech Mining Report 2019, publicado pela Distrito, o Brasil possui 550 fintechs, sendo 231 delas nascidas entre 2016 e 2018, 74,5% localizadas no Sudeste, 17,9% no Sul, 4,7% no Nordeste, 2,2% no Centro-Oeste e 0,7% no Norte do país. Esse número deve crescer ainda mais e por isso as próprias startups estão buscando trazer inovações em mercados cada vez mais segmentados.

Publicidade

Mas, afinal, qual é o grande diferencial das fintechs de nicho? Quais são as inovações? No que elas beneficiam os negócios? Abaixo, listamos alguns exemplos de startups que atendem necessidades específicas de mercado. Confira:

A Nutrebem é uma fintech que oferece conta digital para cantinas escolares com acompanhamento nutricional. Com a solução, cada criança possui uma conta, onde o responsável pode ativar e colocar saldo pelo app ou diretamente na cantina. O aluno possui acesso à sua conta nos totens instalados na escola, tanto por cartão magnético como por login e senha. Já os pais podem acompanhar e gerir, em tempo real, os gastos dos filhos. Dessa forma, além de proporcionar mais segurança aos pais em relação ao dinheiro que circula nas escolas, a Nutrebem ainda ajuda as crianças a cuidarem do primeiro dinheiro de suas vidas, que é o do lanche.


O Beblue é uma fintech de pagamentos que proporciona tanto o crescimento do estabelecimento comercial como a economia do consumidor. Isso porque fideliza clientes ao devolver parte do dinheiro que o usuário gastou nos estabelecimentos conveniados, em forma de cashback. Por meio de seu banco de dados, também, concentra informações relevantes sobre o comportamento de consumo dos clientes, o que facilita a produção de promoções no local, por exemplo.

A iZettle é uma fintech sueca de meios de pagamento, que atua no Brasil desde 2013. A empresa oferece uma solução completa de gestão de negócios para o micro, pequeno e médio empreendedor, que inclui uma maquininha de cartão e um aplicativo gratuito e online, que permite administrar a frente de caixa, o estoque, o faturamento do negócio e gerar relatórios de performance.

Pensando nos pequenos empreendedores localizados em regiões mais afastadas e com escassez de tecnologia de serviços financeiros, a missão do Celcoin é gerar negócios entre a população para democratizar acesso e oportunidades. Com baixa burocracia, atua no Brasil via 20.000 “agentes Celcoin”, em mais de 2 mil cidades e mensalmente, a fintech impacta mais de 2,5 milhões de brasileiros. Com a utilização do Celcoin, autônomos, pontos de venda e varejistas podem obter uma renda extra oferecendo diversos serviços para seus clientes e contatos, além de atraírem consumidores para o estabelecimento. A fintech já representa, atualmente, de 10 a 20% da renda familiar dos agentes que utilizam o aplicativo. Somente no primeiro semestre, mais de R$5 milhões de bonificações já foram concedidas a eles pelos serviços oferecidos.



Convite Pag Bank

Sem consulta ao SPC e Serasa, Deixe o seu e-mail.