Após escândalo XP nos EUA, Itaú montará gabinete de crise

Banco Itaú deve gerenciar crise e verificar quais os impactos em sua imagem com o escândalo financeiro da XP Investimentos nos Estados Unidos

Crédito imobiliário Itaú

O Banco Itaú montará um gabinete de gerenciamento de crise para tratar sobre o escândalo da XP Investimentos nos Estados Unidos. As primeiras informações foram do jornalista Luis Nassif, do site GGN.

Saiba mais

Banco Original lança com PJ e entra na concorrência com as fintechs

Banco RCI Brasil amplia taxa de seu CDB de liquidez diária para 104% do CDI em março

Vagas de Emprego Caixa Econômica – Tire Suas Dúvidas

Saque do Fundo de Garantia deve ser declarado no Imposto de Renda

Recentemente, a XP Investimentos foi investigada por autoridades norte-americanas devido a denúncias de fraude contábil e golpes em acionistas. O escritório de advocacia dos Estados Unidos Block & Leviton já recruta investidores que foram prejudicados com a venda de ações da corretora brasileira para iniciar o processo.

A corretora também se envolveu em uma polêmica ao afastar de seus quadros a economista Zeina Latif, que pretendia criticar em seus relatórios a ausência de crescimento econômico no Brasil, com as políticas adotadas pelo ministro Paulo Guedes, e que dessagrou os principais sócios da empresa.

O Itaú é o principal investidor e acionista da XP, ao lado do empresário Guilherme Benchimol. A empresa surgiu em 2001 por Benchimol e se tornou uma das principais corretoras de investimentos do Brasil. Em 2017 anunciou a associação com o Itaú Unibanco, que adquiriu 49,9% das ações da XP por R$ 6,3 bilhões.

“Os investidores têm o direito de confiar em documentos de ofertas precisos ao decidir investir em uma nova empresa. Essas alegações são muito preocupantes”, disse Mark Delaney, advogado da Block & Leviton que liderou a investigação.