C6 Bank lança fundos imobiliários e de previdência privada

C6 Bank Ações

A plataforma de investimentos do C6 Bank acaba de disponibilizar mais duas opções para seus clientes: fundos imobiliários e de previdência privada. Com a novidade, a prateleira de opções de investimento que já contava com 185 fundos de investimento, além de ações, CDBs (certificados de depósitos bancários), ETFs (fundos negociados em bolsa, como as ações) e BDRs (certificados que representam papéis de empresas estrangeiras, mas que são negociados na bolsa brasileira) agora está ainda mais diversificada.

Saiba mais

Todos os mais de 300 fundos imobiliários negociados na B3 atualmente vão estar disponíveis na plataforma do banco. Essa é uma das modalidades de investimento que mais se popularizaram nos últimos tempos no Brasil, principalmente entre os investidores mais conservadores, que passaram a buscar uma diversificação maior na carteira em um ambiente de juros baixos.

Quatro fatores ajudam a explicar o sucesso desses fundos. O primeiro é a liquidez, muito superior à de um ativo real, pois são negociados em bolsa. Também são uma forma barata de investir em imóveis sem ter de adquirir um. A partir de 100 reais já é possível comprar uma cota de um fundo desse tipo. Para completar, o C6 não cobra custódia nem taxa de corretagem para fundos imobiliários. Por último, são isentos de imposto de renda e rendem dividendos recorrentes.

Segundo Romildo Valente, head da área de investimentos do C6 Bank, os fundos que têm estratégia de geração de renda — os mais comuns do mercado — são obrigados a transferir para os cotistas pelo menos 95% dos ganhos com os aluguéis. “Você compra uma cota e o dinheiro vai pingando todo mês, proporcionalmente à sua fatia. Essa vantagem tem atraído os investidores conservadores, que tinham boa parte do patrimônio aplicado em imóveis”, explica Valente.

Previdência a partir de 100 reais

Outra grande novidade na plataforma do C6 Bank são os fundos de previdência privada. O banco fechou uma parceria com a Icatu, líder desse segmento, para oferecer 24 fundos, todos com opção VGBL e PGBL.

A principal diferença entre um e outro é a tributação. Enquanto no VGBL o Imposto de Renda (IR) incide apenas sobre os rendimentos, no PGBL o imposto incide sobre o valor total a ser resgatado ou recebido em forma de renda. Esse último é indicado para quem declara o IR pelo formulário completo. Já o outro é indicado para quem faz a declaração simples.

Um dos atrativos dos fundos do C6 é o valor mínimo para investimento, de apenas R$ 100. “Construímos uma solução sob medida para o nosso cliente. Simplificamos os fluxos, tornando a contratação mais simples e transparente. Previdência costuma ser um investimento mais complexo”, diz Valente.

3 ferramentas online para ajudar nas despesas de início do ano