Contribuinte não pode mais abater doméstica no Imposto de Renda

Imposto IRPF Empregadores

Para quem declara imposto de renda, 2020 já chega com uma importante informação, sendo que não será permitida mais a dedução da contribuição previdenciária patronal de empregada doméstica, conforme Lei 9.250/95 artigo 12 inciso VII.

Saiba mais

Startup de varejo levanta os 5 erros mais comuns de quem vende pela internet

É melhor contratar um plano de previdência privada individual ou corporativo?

Decisão da Justiça isenta pagamento de IR a portadores de câncer

Após dois anos de alta, produção industrial fecha 2019 com queda de 1,1%

Porque não sou promovido? Entenda o que esta te impedindo de crescer

Segundo a lei, a Contribuição Previdenciária paga pelo empregador doméstico não pode mais ser deduzida do IRPF/2020, pois a lei somente permitiu até o exercício de 2019, ano-calendário de 2018. Esse era um importante benefício que objetivava o crescimento da formalização dessa área de trabalho.

“Com essa novidade, neste ano, o contribuinte que tem regularizado esse tipo de contratação deixa de se beneficiar de até R﹩ 1.251,00 do incentivo fiscal por registrar um doméstico. Isso sem dúvida é um desestímulo ainda maior à manutenção do emprego formal por parte do cidadão, principalmente de classe média”, analisa o diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil, Richard Domingos.

A lei que permitia esse benefício entrou em vigor em 2006 e definia que isso só valeria até o pagamento do Imposto de Renda de 2019. Como não ocorreu nenhuma previsão legal de mudança, essa possibilidade se encerrou no dia 31/12/2018. A legislação estabelecia o limite para o abatimento equivalente à contribuição do INSS de um único empregado doméstico por declaração de IR.