Dicas de finanças para empreendedores iniciantes

Empreendedores iniciantes
(Foto: Pexels)

Abrir o próprio negócio e ser o seu próprio patrão é o sonho de muitos brasileiros, no entanto, empreender é um ato desafiador, que exige um bom planejamento financeiro que seja capaz de ajudar o empreendedor a alcançar uma rotina organizada para tomar decisões mais acertadas e que consequentemente maximize seus resultados financeiros. 

Muitos empreendedores iniciantes no cenário do empreendedorismo no Brasil infelizmente acabam se concentrando apenas nas ideias de negócio, seja por oportunidade ou necessidade, e esquecendo de elaborar um planejamento estratégico de viabilidade, para poder tornar o seu negócio possível e rentável.

Para facilitar este início de inserção neste cenário do empreendedorismo desenvolvemos este artigo com dicas de finanças para empreendedores iniciantes que vai ajudar estes novos empreendedores para que eles possam melhorar a gestão do seu negócio e ainda viabilizar ótimas perspectivas para o futuro do seu negócio.

1 – Faça um plano de negócio

Um plano de negócio bem estruturado, com metas e objetivos, é uma ferramenta essencial para o sucesso de qualquer projeto, e assim sendo, desenvolver um plano de negócio vai ajudar o empreendedor na idealização e gestão do seu negócio, possibilitando assim que a sua ideia de negócio se torne viável.

Cometer erros é normal e pode acontecer de passar por imprevistos ou dificuldades, mas caso identificado que o plano de negócio está falhando, o recomendado é mudar a estratégia o mais breve possível, para que o mesmo reduza seu prejuízo de tempo e dinheiro.

2 – Separe despesas pessoais e empresariais

Um dos erros mais comuns cometidos por empreendedores iniciantes é usar o dinheiro da empresa para pagar despesas pessoais ou vice-versa. Esse erro pode dificultar com que o empreendedor saiba o lucro real do seu negócio ou pior, ele pode levar a prejuízos e até mesmo a falência do seu negócio.

Por esse motivo que manter as fianças separadas proporciona maior vitalidade ao negócio. O ideal é que o empreendedor determine uma retirada mensal dos ganhos do negócio e reinvista o resto dos lucros na própria empresa para estimular o seu crescimento.

3 – Tenha o investimento inicial do negócio

O  capital inicial do negócio deve levar em conta um estudo cuidadoso do mercado que será explorado, bem como os recursos essenciais para dar início às atividades. Além disso, esse cálculo também deve levar em conta uma reserva de contingência para auxiliar em despesas futuras de capital de giro.

Devem ser calculados desde itens como mercadorias, máquinas e instalações, até despesas iniciais, como o marketing de inauguração.

4 – Saiba quanto custa seu produto ou serviço

Saber o custo do seu produto ou serviço possibilita determinar as despesas do negócio e a margem de lucro para fixar um preço. Infelizmente muitos empreendedores iniciantes até conseguem ter um uma boa taxa de venda, mas acabam não recebendo um retorno equivalente devido a cálculos equivocados.

Atualmente o mercado proporciona algumas ferramentas de gestão que podem ser utilizados, além disso ainda existe a possibilidade de procurar o auxílio de um profissional especialista em finanças que possa prestar uma consultoria para que consigam estabelecer uma margem de lucro equilibrada.

5 – Defina um preço que cubra os custos e as despesas do negócio

Definir um preço para o seu produto ou serviço envolve fazer um planejamento de custos completo que alie tanto a sua pesquisa sobre as despesas do negócio, a margem de lucro e o valor de produtos ou serviços equivalentes no mercado. Somente com todas estas informações é possível definir um preço condizente.

Com isso, a definição de preço também exige que o empreendedor faça uma pesquisa de mercado, onde é necessário estudar o mercado para conhecer melhor sua concorrência e área de atuação, que ainda o ajudará aumentar sua probabilidade de sucesso.

6 – Formalize o empreendimento

A formalização é um procedimento que regulariza a situação do negócio do empreendedor para que o mesmo possua um registro empresarial, que o possibilita de emitir nota fiscal, criar conta bancária como pessoa jurídica, obter máquinas de cartão de crédito e solicitar empréstimos públicos.

Como MEI é possível fazer todo o processo sozinho, mas é sempre interessante contar com assessoria de um profissional de confiança, ou procurar um escritório de contabilidade

7 – Controle as receitas e despesas do seu negócio

É imprescindível organizar seu fluxo de caixa, valores que entram e saem para ter total controle de todas as suas receitas e despesas operacionais e conhecer sua situação monetária para saber se a situação financeira do seu negócio está saudável para planejar cada um crescimento.

O controle do fluxo de caixa é uma medida que também permite que o empreendedor possa fazer projeções de vendas, para saber se a empresa tem condições para novos investimentos, disponibilidades para pagar despesas fixas e muitas outras utilidades.

Cartão Kontaazul

Convite Konta Azul

Sem consulta ao SPC e Serasa, Deixe o seu e-mail.