Empresas buscam crédito para manter contas, mas apontam dificuldade dos bancos

Bancos

O governo federal vem anunciando algumas medidas emergenciais para atender empresas em todas as suas estruturas durante a pandemia do novo coronavírus. No entanto, alguns empresários têm reclamado do atendimento de alguns bancos, principalmente em aprovar a nova linha de crédito ou mesmo no momento da solicitação via internet ou SAC.

Saiba mais

Santander oferece linha de crédito para empresas efetuarem pagamentos

Crédito consignado bate recorde: saiba como não cair em armadilhas

PIS/Pasep: Medida do governo vai acabar com o abono do PIS/Pasep?

Deputados querem melhorar o benefício para trabalhador que terá suspensão de contrato

Queda da Selic auxilia empresas em período de pandemia, destaca especialista

Umas das principais linhas de crédito tem o apoio do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), responsável por 85% do crédito, e os bancos privados, que ficam com 15% do total. O empréstimo tem carência de seis meses para a primeira parcela, prazo de 30 meses para pagar e taxa de juros em 3,75%, para empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões no ano de 2019. O pagamento serve principalmente para pagamento de salário dos funcionários.

Até o momento, apenas 1% do orçamento, cerca de R$ 413,4 milhões de um total de R$ 40 bilhões, foi emprestado, de acordo com o Banco Central.

Dificuldades no acesso

Por outro lado, os estabelecimentos e empresários têm reclamado do atendimento dos bancos e da demora em avaliar a solicitação de crédito.

Uma pesquisa do Sebrae realizada em abril deste ano apontou que 60% dos pequenos negócios que buscaram empréstimo tiveram o pedido negado. Em entrevista ao portal Uol, o presidente do Sindicato da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo (Simpi), Joseph Couri, disse que os bancos não liberam o valor com medo de inadimplência.

“A coisa pega na análise de crédito, pois os bancos usam uma metodologia de análise de crédito velha, de antes da crise, para um momento novo. Pela primeira vez, o dinheiro não é do banco. O dinheiro vem do Tesouro e, se o risco é do Tesouro, é um problema esse dinheiro não chegar na ponta”.

Algumas empresas já anunciaram corte de funcionários e demissões, o que vem atingindo boa parte da classe mais baixa da população. “Se continuarmos com esse critério, o dinheiro não chegará na ponta, e as empresas estão tentando se defender para sobreviver. Então, a empresa demite, reduz salário e jornada, e aperta muito todo o cerco de sobrevivência”, disse Couri.

Reclame Aqui

O site Reclame Aqui tem registrado reclamações de empresários que não conseguem acesso à linha de crédito das instituições financeiras.

“Quero pelo menos ter o direito de prorrogar meu empréstimo por 180 dias como pessoa jurídica conforme anunciado na TV e no próprio gerenciador financeiro. É o mínimo que uma instituição financeira como o Banco do Brasil pode fazer para ajudar os empresários nesse momento tão delicado da economia. Afinal, o banco só quer fazer bonito na televisão, mas na prática vira as costas”, disse uma empresária.

“O banco ofereceu para prolongar até 60 dias prestações de empréstimos para pagamento devido a situação que estamos enfrentando devido o covid-19, solicitei então o prolongamento das prestações, mais o banco não cumpriu oq prometeu, deixo aqui a minha indignação”, informou outro contribuinte sobre o atendimento no Banco Santander.

Reputação dos bancos

Os bancos têm mantido a seguinte reputação no site até o dia 08/05:

  • Santander: 7.1 de nota com 20.156 reclamações
  • Banco do Brasil: 7,5 de nota com 17.026 reclamações
  • Itaú: 6.9 de nota com 11.923 reclamações
  • Bradesco: 7.6 de nota com 16.153 reclamações
  • Caixa: 0 de nota com 12.004 reclamações (o banco não tem respondido as solicitações no site)
  • Banco do Nordeste: 5.5 de nota com 106 reclamações

O índice de nota vai de 0 a 10 de acordo com o total de reclamações, mais o número de respostas e satisfação do cliente pelo atendimento.

O que dizem os bancos

O Konta Azul entrou em contato com todos bancos citados acima e pediu uma resposta sobre os questionamentos da demora em aprovar estas operações.

Banco do Brasil

O Banco do Brasil detalhou os principais serviços oferecidos neste período. São eles:

  • Desembolso de crédito novo e prorrogações somam R$ 83,8 bilhões em 30 dias;
  • Prorrogação de 436 mil operações de crédito de 321 mil clientes;
  • Atendimento de mais de 91 mil micros e pequenas empresas com soluções de crédito nos últimos 30 dias;
  • Financiamento de folhas de pagamento gera interesse em 70% dos clientes;
  • Pagamento de auxílio a 709 mil e negocia 47 convênios com setor público.
  • Fundação BB repassará R$ 57 milhões em doações para combater Covid-19.

Caixa

A Caixa Econômica Federal também detalhou as operações disponíveis:

  • Para capital de giro: operações com taxas reduzidas, possibilidade de pausa e de carência de até 90 dias;
  • Linha de crédito para aquisição de máquinas e equipamentos: taxas reduzidas, até 60 meses para pagamento e até 06 meses de carência;
  • Para empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões, a Caixa lançou uma nova linha de crédito, para auxiliar as empresas com suas folhas de pagamento, como parte das medidas anunciadas pelo Governo Federal contra os efeitos do novo coronavírus;
  • Para empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões, lançamos uma linha, em conjunto com o SEBRAE, com aval assessório do FAMPE.

Itaú

Em nota, o Itaú anunciou que tem um plano de “linha de crédito para custear folha de pagamento de pequenas e médias empresas, além de plano abrangente de suporte financiamento para pessoas físicas e pequenas e médias empresas”.

Santander e Bradesco não retornaram até o fechamento da reportagem. Não conseguimos contato com o Banco do Nordeste.

Cartão Kontaazul

Convite Konta Azul

Sem consulta ao SPC e Serasa, Deixe o seu e-mail.