Empréstimo com imóvel financiado deve perder validade nos próximos meses

Imóvel Empréstimo

A nova modalidade de empréstimo dos bancos, podendo utilizar um imóvel financiado para a solicitação do serviço, deve perder a validade nos próximos meses. Isso se deve ao fato da demora da Câmara dos Deputados de aprovar ou não a Medida Provisória 992.

Saiba mais

Editada em junho pelo governo, a MP terá validade somente até esta quinta-feira (12). Como não há mais sessões na duas Casas do Congresso Nacional devido às eleições, a medida vai “caducar”, ou seja”, perderá sua eficácia.

A perda desta MP se dá por dois motivos: primeiro pela disputa da presidência da Comissão Mista de Orçamento. De um lado, o grupo liderado por Arthur Lira (PP-PB) quer o comando do colegiado. Já o grupo liderado por Rodrigo Maia disse que o comando é seu, como foi acordado no início do ano. Esta disputa deve suspender a instalação da comissão este ano e a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) deve ser votada direto no plenário.

O outro motivo é o auxílio emergencial. A oposição quer votar a MP que estendeu a o auxílio até o fim do ano, mas reduziu o valor para R$ 300. O grupo quer retomar o valor integral, de R$ 600. Com isso, se negam a votar qualquer outro projeto enquanto a MP do auxílio não é votada. O governo é contra mudanças, devido ao impacto orçamentário.

Proposta de empréstimo sob imóvel financiado

O sistema funcionará da seguinte maneira: o imóvel financiado passará a valer como garantia para que a pessoa possa pegar outro empréstimo. O cálculo do novo serviço dependerá do valor de avaliação do imóvel, do saldo devedor e do tipo de financiamento.

Com isso, a dívida total, somando o novo financiamento com o crédito já existente, não poderá superar 90% do valor do imóvel, que é a garantia. Neste sentido, um imóvel de R$ 300 mil e o saldo devedor de R$ 175 mil, o crédito máximo é de 90% do valor do imóvel, R$ 270 mil, com isso, o novo financiamento poderá ser de até T% 95 mil no caso de financiamento pela tabela SAC.