Feirão limpa nome do Serasa: tire aqui todas as suas dúvidas

Feirão limpa nome do Serasa

Saiba como limpar o nome e entrar 2021 com crédito no mercado

O ano de 2020 não foi um ano muito promissor. Devido a pandemia, muitas pessoas perderam seus empregos e acabaram ficando endividados. Segundo dados da Serasa Experian, o número de brasileiros com restrição no nome chegou a 63,8 milhões no mês de janeiro, o aumento de 2,6% com relação a janeiro de 2019.

O total de pessoas com contas atrasadas representam 40,8% da população adulta do Brasil. Elas  enfrentaram restrição de crédito e também suspensão de serviços, como corte de energia elétrica. Mesmo com tendo entrado recursos extras, como o 13º salário, muitas pessoas ainda não conseguem liquidar suas contas e voltar a ter crédito no mercado.

Pensando nesta situação, com a finalidade de ajudar os brasileiros nesse período de dificuldade, uma empresa especializada em restauração de crédito, a Recomece Brasil, dispõe de um serviço que vai ajudar na restauração das suas finanças, através da exclusão dos apontamentos e da blindagem do CPF ou CNPJ.

Sabemos que é uma atitude muito importante para a retomada do crescimento. Ter a chance de voltar ao circuito financeiro antes de liquidar suas dívidas faz toda a diferença para quem está tentando recomeçar.

Retirada de apontamentos e crédito no mercado em 2021

A negativação do CPF ou CNPJ nos órgãos de proteção ao crédito só poderá ser realizada se obedecer algumas exigências legais que estão previstas no Código de Defesa do Consumidor.

Nessa situação, a Recomece Brasil julgará processo judicial objetivando o sigilo do CPF ou CNPJ que forem cadastrados junto aos órgãos de proteção de crédito (Serasa SPC e SCPC Boa Vista), antes do pagamento da dívida.

Sendo assim, o tempo de retirada dos apontamentos, são de 60 dias, ficando em sigilo a dívida dos clientes. Com isso o cliente consegue um crédito no mercado para ter um pouco de tranquilidade e se organizar financeiramente. O serviço teve um aumento de 80% nesse último mês.

Como funciona o feirão?

O Feirão Limpa Nome é uma atividade em que o Serasa, em parceria com outras empresas parceiras, oferecem a oportunidade às pessoas inadimplentes quitarem suas dívidas com até 99% de desconto. Cada empresa tem uma metodologia diferente: valor da dívida, o tempo em que ela foi efetuada e tipo de dívida (cartão de crédito, cheque especial, varejo, telefonia, entre outros).

Após a negociação, o cliente poderá pagar seu acordo em uma lotérica ou agências bancárias e/ ou aplicativo do banco que você preferir. 

Quais empresas participam

hoje são mais de 50 parceiros disponíveis:Bancos, universidades, redes de telefonia e empresas de recuperação de crédito. veja a seguir algumas de nossas parceiras:

Itaú, Banco do Brasil, Recovery, Vivo, Santander, Claro, Ponto frio, lojas Renner, Avon, SKY, Oi, Bmg, Tricard, Crefisa, digio, Unopar, Hipercard, energisa, Havan, PagBank, Banco Pan, BV, Next e muitos outros citamos os mais conhecidos.

 É possível negociar dívidas caducas?

Se suas dívidas estabelecidas, que têm mais de cinco anos, podem ser sim negociadas no Feirão Serasa, Limpa Nome. Essas dívidas não aparecerão na consulta da Serasa, mas os credores podem sim realizar cobranças. E, por isso, o cliente pode renegociar essas dívidas no Feirão. O Feirão Serasa é a oportunidade para as pessoas com nome sujo resolverem suas pendências de um jeito bem simples e fácil. Principalmente para quem não tem o controle de sua dívida e não sabe sua situação.

Quantos dias demora para sair o nome da Serasa?

Após ter feito o pagamento da dívida, as empresas têm até 5 dias úteis para informar os birôs de crédito, e mais 7 dias úteis para tirar o registro dos bancos de dados. Lembrando que o prazo para a retirada do nome do SPC e Serasa só começa a ser contado após a identificação do pagamento ou acordo feito.

Qualquer tipo de dívida será possível negociar. As ofertas são as mesmas tanto online, quanto nos pontos de atendimento, mas a Serasa opta pela negociação online pelo site ou aplicativo, assim evita filas e aglomerações. Hoje o Brasil conta com mais de 63 milhões de inadimplentes. Segundo Aline Maciel.