FGTS deve ter redução nos descontos de financiamento de imóvel em 2021

Saque FGTS

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) informou no dia 19 de fevereiro que os descontos concedidos aos trabalhadores para o financeiro da casa própria terão uma redução a partir de 2021. A decisão vem após uma revisão no orçamento do Fundo.

Saiba mais

Imóvel em leilão pode ser boa alternativa de investimento em 2020

Serasa lança novo Feirão Limpa com descontos de até 98% em renegociações

Alto do dólar e escassez de produtos influenciam economia brasileira em meio ao Coronavírus

As reduções serão progressivas no decorrer dos próximos anos, mas já há uma estimativa do valor descontado: R$ 9 bilhões para 2020, R$ 8,5 bilhões para 2021, R$ 8 bilhões para 2022 e R$ 7,5 bilhões até 2023. A decisão faz parte da política de corte de gastos do atual governo.

Essa perda deve ser amenizada com redução das taxas de juros dos empréstimos, uma das maiores do mercado. A ideia é que a transição seja “suave” e que não seja sentida no bolso do trabalhador.

Além desta redução, haverá um incentivo maior em habitação popular. Em 2020, serão destinados R$ 62,5 bilhões para a construção de casas à população de baixa renda que se enquadram nos critérios de concessão. Também haverá verba de R$ 4 bilhões para questão de saneamento básico, além de R$ 5 bilhões para setores de infraestrutura urbana e R$ 3,4 bilhões para investimentos no FGTS-Saúde.

A Caixa também receberá menos do governo para administrar o FGTS. Antes com o valor de 5 bilhões, o novo montante será de R$ 2,643 bilhões divididos em 12 parcelas. Uma Medida Provisória aprovada em setembro de 2019 gerou uma redução de 1% a 0,5% em custos administrativos.