Governo Federal fecha acordo bilionário com a operadora Oi

Grupo Oi

Cerca de 1,7 mil processos que se arrastavam há anos resultaram em um acordo histórico. A Advocacia-Geral da União (AGU), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Ministério das Comunicações formalizaram uma transação com o Grupo Oi e garantiram a recuperação de R$ 7,2 bilhões provenientes de multas.

Saiba mais

PicPay passa marca de 1 milhão de cartões PicPay Card

Governo Federal recupera quase R$ 30 milhões em devoluções do Auxílio Emergencial

BizCapital anuncia conta digital focado nas PMEs

Bradesco lança Cartão Visa Like com opção de pacote de benefícios personalizados

Banco Bmg lança marketplace com mais de 20 milhões ofertas

Quod é escolhida para fornecer soluções antifraude para o sistema do Pix

“Nós consideramos essa transação uma vitória. Vamos recuperar R$ 7,2 bilhões provenientes de multas. O volume de recursos é uma excelente notícia para o país neste momento de crise”, afirma o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

As negociações foram feitas com base na Lei nº 13.988, de abril de 2020, que forneceu a segurança jurídica necessária para viabilizar a arrecadação de créditos de difícil recuperação ou irrecuperáveis. O instrumento permite que grandes empresas em recuperação judicial, como é o caso da Oi, possam quitar as dívidas com descontos de até 50% e parcelamento em até 84 meses.

O acordo foi autorizado pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria. “Nós consideramos essa transação uma vitória. Vamos recuperar R$ 7,2 bilhões provenientes de multas. O volume de recursos é uma excelente notícia para o país neste momento de crise.”

Além dos créditos decorrentes da imposição de multas administrativas, a transação envolve, ainda, créditos decorrentes da outorga das autorizações de uso de radiofrequências do serviço de telefonia.

De acordo com o Procurador-Geral Federal, Leonardo Fernandes, a assinatura do instrumento de transação revela uma importante e positiva mudança na cultura de cobrança. “Possibilita um olhar individualizado, atento para as situações que são peculiares, a partir de uma relação dialógica e construtiva com o contribuinte”, afirma. O acordo coloca fim à litígios judiciais entre a Oi e a Anatel.