Índice do consumidor sobe 0,89% em setembro, segundo FGV

Consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) de setembro subiu 0,89%, ficando 0,34 ponto percentual (p.p.) acima de agosto quando o índice registrou taxa de 0,55%. Com este resultado, o indicador acumula alta de 3,13% no ano e 4,54% nos últimos 12 meses.

Saiba mais

Brasileiro gasta mais de R$ 1600 em apps de transporte, segundo pesquisa

Concessão de crédito chega a R$ 2,2 tri de março a setembro, segundo Febraban

PIX será gratuito para pessoa física, mas poderá ser tarifado para empresas

Tendências do mercado de crédito brasileiro: análise dos resultados do BACEN

Banco Central reduz taxa Selic para 5,5%, a menor da história

TOTVS lança plataforma para gestão de empréstimo consignado

Em setembro o IPC-BR variou 0,82%. A taxa do indicador nos últimos 12 meses ficou em 3,62%, nível abaixo do registrado pelo IPC-C1, conforme tabela.

Nesta apuração, três das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação: Alimentação (0,76% para 2,23%), Educação, Leitura e Recreação (0,09% para 2,44%) e Vestuário (-0,42% para 0,12%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: arroz e feijão (1,02% para 10,64%), passagem aérea (2,77% para 39,19%) e roupas (-0,54% para 0,12%).

Em contrapartida, os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (0,61% para -0,10%), Despesas Diversas (0,58% para 0,26%), Habitação (0,61% para 0,54%), Comunicação (0,12% para 0,04%) e Transportes (0,68% para 0,61%) apresentaram recuo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale citar os itens: médico, dentista e outros (0,57% para -1,49%), serviços bancários (0,81% para 0,08%), tarifa de eletricidade residencial (1,00% para 0,22%), mensalidade para tv por assinatura (0,44% para 0,07%) e gasolina (2,68% para 1,67%).

A próxima divulgação do IPC-C1 acontecerá no dia 06/11/2020.