Iniciativa para retomada econômica deve criar um milhão de empregos em obras públicas

Retomada Economia

O Governo Federal anunciou nessa quarta-feira (22) um plano de retomada econômica que deve gerar um milhão de empregos e a previsão de uma aplicação de R$ 30 bilhões em investimentos. O anúncio não contou com a presença de representantes do ministério da Economia.

Saiba mais

Confira o calendário de pagamento do auxílio emergencial da Caixa

Coronavírus pode beneficiar economia do Brasil a longo prazo, segundo empresário

Bancos batem recorde em 2019, mas fintechs exigem adaptação, aponta Capital Research

Coronavírus pode causar aumento de preços e crise econômica em grandes potências

Itaú firma parceria com iFood para auxiliar restaurantes no pagamento de contas

Governo orienta para redução de salários e carga horária para conter economia

O plano foi apresentado ao presidente Jair Bolsonaro pelo ministro da Casa Civil, Braga Netto, pelo vice-presidente, Halimton Mourão e ministros, entre eles, o da Economia, Paulo Guedes.

Em coletiva de imprensa, Braga Netto explicou o plano, que não é similar ao Plano Marshall, que foi questionado pelos jornalistas.

“Não existe nenhum Plano Marshall. Aqui existe o Pró-Brasil. Plano Marshall é outra coisa. Nos Estados Unidos para fora, isso aqui não é um programa de recuperação econômica. Ele é de crescimento socioeconômico. É para toda a estrutura, toda essa infraestrutura que foi, vamos dizer, abarcada, foi atingida pelo coronavírus”, diz Braga Netto.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que o foco é criar empregos nas áreas de obras públicas com dinheiro público e privado.

“Nós vamos ter aquilo que vai ser feito com capital privado, serão aí investimentos em concessões. Só no Ministério da Infraestrutura, R$ 250 bilhões de concessões serão contratadas. E aquilo que será feito por meio de obra pública e aí a gente estima um valor de R$ 30 bilhões”, afirma.

O secretário de Desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, explicou o plano do governo e descarta aumento os gastos públicos.

“O Plano Marshall gestado pela Casa Civil é um pouco diferente dos planos do Ministério da Economia. O Plano Marshall dependeu do dinheiro americano, e nós não temos dinheiro sobrando mais. As finanças nossas foram absolutamente esgotadas. Então, ainda é muito embrionário. Eu li superficialmente que alguns ministros, liderados pela Casa Civil, estão tentando elaborar um Plano Marshall. O Ministério da Economia está elaborando um plano de busca de investimento através do privado, já que o estado não tem dinheiro”, disse.

O plano está em avaliação pelo governo, que ainda não detalhou como será aplicado o investimento ou a criação destes empregos.

Cartão Kontaazul

Convite Konta Azul

Sem consulta ao SPC e Serasa, Deixe o seu e-mail.