Magazine Luiza anuncia lucro líquido de R$ 921 mi em 2019

Magazine Luiza

O Magazine Luiza divulgou o balanço de 2019 onde mostra um lucro líquido de R$ 921,8 milhões, um aumento de 54,3% em comparação com 2018. O aumento se deve, principalmente, ao grande volume de vendas do e-commerce, que passou a responder por 45% do faturamento da empresa.

Saiba mais

Carrefour adquire 30 lojas da Makro e intensifica expansão pelo país

Contribuição dos empregados domésticos não será dedutível no imposto de renda

As vendas online fecharam, em 2018, com 37,7% do faturamento. Já as vendas totais em 2019 alcançaram R$ 27,3 bilhões. O Magazine Luiza teve um maior lucro no quarto trimestre, período em que o e-commerce representou quase metade do faturamento (48%). O lucro líquido foi de R$ 168 milhões, queda de 11,4% em comparação com o mesmo período de 2018.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o diretor-presidente do Magazine Luiza, Frederico Trajano, afirmou que as vendas da companhia em novembro de 2019 foram boas tanto nas lojas físicas quanto no mobile, período em que a empresa participou da Black Friday. Com isso, as vendas de dezembro foram mais fracas, o que derrubou o lucro da loja.

“É algo que acontece desde 2017 e tem se intensificado. É uma realidade inexorável e não tem mais volta. A gente conseguiu compensar um pouco dessa ressaca nos últimos dez dias de dezembro e no pós-natal, também, que foi bastante positivo”, afirmou o presidente.

Esta queda, de acordo com o executivo, também se deve ao aumento de 50,6% das despesas operacionais, já que o Magazine Luiza venceu a disputa com a Centauro e comprou a integridade das ações da Netshoes em junho do ano passado, pelo valor aproximado de R$ 115 milhões.

Esta aquisição fez com que o e-commerce da companhia tivesse um aumento de 76% em 2019. As vendas ocorrem pelo site, aplicativo de vendas, marketplace e as operações da Netshoes, Zattini e Época Cosméticos.

Segundo Trajano, a expectativa é continuar neste crescimento, com novas categorias e no marketplace, além de investir no número de sellers (aqueles que vendem seus produtos na plataforma online).

“A nossa tendência é seguir com essa estratégia de crescimento acelerado. Vamos continuar investindo em mais lojas, tecnologia e continuar também com o plano de aquisições. Estamos bem abastecidos de caixa e em uma posição confortável pra continuar crescendo e investindo de maneira agressiva”, disse.

“O foco deste ano é Magazine Luiza. Vamos integrar as categorias novas e crescer nelas. Todos os nossos esforços estarão em primeiro integrar o catálogo no aplicativo, como fizemos com Zattini e Netshoes um mês depois da aquisição. Também vamos melhorar o marketplace e prover mais serviços para os nossos sellers”, afirmou Trajano.

As ações da Magazine Luiza subiram 4,5% neste segunda-feira e a empresa chegou a R$ 95,6 bilhões de valor de mercado e ultrapassou a Telefônica (R$ 95,4 bilhões) para se tornar a 11ª empresa mais valiosa do índice.