Procon-SP divulga balanço inicial da Black Friday

Black Friday

O Procon-SP divulgou no final da manhã desta sexta-feira (27) o balanço inicial de reclamações referentes a vendas e atendimento da Black Friday. Com uma das datas mais promissoras no aumento de descontos e benefícios, também há um aumento nas reclamações no atraso pelo atendimento nas vendas.

Saiba mais

Black Friday é oportunidade para aproveitar benefícios dos programas de fidelidade

Procon orienta sobre registro de reclamações durante a Black Friday

BR Distribuidora adquire Targus e passa a atuar na comercialização de energia

Levantamento mostra que 26% dos consumidores ficarão acordados para comprar na Black Friday

Caixa atinge lucro líquido ajustado de R$ 2,6 bilhões no terceiro trimestre

Proposta permite saque do FGTS para pagamento de financiamento de imóveis

O Procon registrou 168 reclamações, além de 41 consultas e denúncias efetuadas em redes sociais.

“Os principais problemas apresentados foram: maquiagem de preço (desconto oferecido sobre o preço do produto e ou serviço não é real) com 41 registros; pedido cancelado após finalização da compra, 32; produto e/ou serviço indisponível 30; mudança de preço ao finalizar a compra, 22”, informou o Procon.

As maiores reclamações foram da B2W Companhia Digital, responsável pelas lojas Submarino, Americanas.com, Shoptime e Soubarato, com 15 reclamações. Em seguida aparece a ViaVarejo, responsável pelas Casas Bahia, PontoFrio e Extra.com.br, com 12 reclamações. Em seguida a Kabum com 11 reclamações, Mercado Livre e Magazine Luiza, com nove registros.

“Em compras feitas fora do estabelecimento, o consumidor tem sete dias para se arrepender, cancelar a compra, devolver o produto e pedir o dinheiro de volta (o prazo passa a contar da data da compra ou da entrega do produto)”, informou o Procon.

“Os produtos expostos nas vitrines devem apresentar o preço à vista e, se vendidos a prazo, o total a prazo, as taxas de juros mensal e anual, bem como o valor e número de parcelas”, finalizou.