Revolut: fintech deve chegar em 2021 ao Brasil com serviços de câmbio e criptomoedas

Revolut

O Brasil deve ser o novo mercado para a fintech Revolut em 2021. A empresa espera expandir seu leque de clientes e atrair correntistas que buscam serviços como câmbio e criptomoedas.

Saiba mais

O que é Revolut?

A fintech Revolut nasceu em 2015, em Londres, na Inglaterra, e busca ser uma alternativa acessível para serviços financeiros. Segundo seus fundadores Nikolay Storonsky e Vlad Yatsenko, a ideia é lançar serviços mais amplos para ser uma alternativa aos bancos tradicionais.

Com isso, a Revolut oferece uma ampla gama de serviços financeiros, como a distribuição de cartão de débito pré-pago, câmbio, troca de criptomoedas Bitcoin, Bitcoin Cash Ethereum, Litcoin e Ripple, além de pagamentos peer-to-peer. Também é possível fazer transferências internacionais.

A empresa conta com mais de 8 milhões de clientes. Os serviços e taxas são atraentes e com saques sem custo no exterior, sendo um diferencial para atrair rapidamente novos usuários.

Como funciona

Para se tornar um cliente Revolut, o primeiro passo é abrir uma conta. É necessário baixar o aplicativo e realizar o cadastro, aguardando a aprovação para optar pela melhor forma de conta para suas necessidades.

Existem três modalidades de contas disponíveis. São elas:

Revolut Standard

É a opção mais simples, que não exige pagamento de taxas mensais. O cliente recebe uma conta IBAN em euros e que permite transferências em até 30 moedas diferentes com taxa de câmbio interbancário.

Para operações superiores a 6 mil euros, a Revolut cobra uma taxa de comissão de 0,5% em cima do valor. Para transferências nos fins de semana, é cobrada uma taxa de 0,5% a 2%, dependendo da moeda.

Revolut Premium

Esta modalidade traz diferenciais extras. No entanto, é necessário pagar uma taxa mensais de 7,99 euros.

Revolut Metal

Com mais vantagens que as outras duas contas, a Metal tem uma taxa mensal de 1,99 euros e o cartão físico desenvolvido em metal.

A Revolut está disponível nos países como Austrália, no Canadá, em Singapura, na Suíça e nos Estados Unidos. Assim, a fintech está presente em países como Alemanha, Bélgica, Eslovaquia, Espanha, Irlanda, Finlândia, Portugal, Suécia, entre outros.

Por enquanto, a fintech está desenvolvendo sua entrada no Brasil, mas ainda não há uma data definitiva. Entretanto, já existe uma lista de espera para quem busca utilizar os serviços da empresa.

Sistema de scores exige cuidado extra do consumidor na hora de tomar crédito