Saldo do emprego formal tem o melhor mês da história, segundo Caged

Vagas Emprego

O saldo do emprego com carteira assinada em novembro ficou positivo em 414.556 postos de trabalho. É o melhor resultado para todos os meses desde o início da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), superando o recorde anterior, registrado no Novo Caged de outubro passado. É o quinto mês consecutivo de saldo positivo e o melhor do ano até o momento.

Saiba mais

Fruto de 1.532.189 admissões e 1.117.633 desligamentos, o resultado confirma a retomada do crescimento econômico após a fase mais crítica da pandemia da covid-19 no segundo trimestre do ano. Desde o início da retomada, em julho, o Caged vem apresentando saldo positivo, o que revela o crescimento gradual emprego formal no país, bem como a ampliação das contratações temporárias típicas desse período do ano.

Confira a apresentação Estatísticas Mensais do Emprego Formal – Novo Caged e o sumário executivo.

A coletiva pode ser acessada no canal da Secretaria no YouTube.

Acumulado

No acumulado do ano, verifica-se a geração de 227.025 novos postos de trabalho formais. É a primeira vez desde o início da pandemia, que o saldo acumulado do ano é positivo.

De janeiro a novembro foram 13.840.653 admissões e 13.613.628 desligamentos. O estoque de empregos formais no país chegou a 39.036.648 vínculos, o que representa uma variação de 1,07% em relação ao mês anterior e bem próximo do registrado em novembro de 2019: 39.358.772.

Setores

O bom desempenho de novembro foi puxado pelo setor de Serviços, com +179.261 novas vagas, e Comércio, com +179.077. Na Indústria o saldo foi positivo em +51.457 e na Construção, +20.724.

Regiões

As cinco regiões do país tiveram saldo positivo em novembro, com destaques para o Sul com alta de 1,28% (+92.610 novos postos) e Nordeste, com alta de 1,14% e +71.879 novas vagas de emprego com carteira assinada.

No Sudeste, a alta foi de 1,08% e +215.059 novas vagas; no Norte, 0,88% e +16.187; enquanto o Centro-Oeste teve, respectivamente, 0,59% e +19.421.

Todas as unidades da federação também registraram saldos positivos, com destaques para Paraíba, Roraima e Santa Catarina, estados com as maiores altas relativas: 2,49% (10.178 vagas), 2,09% (1.200) e 1,56% (33.004), respectivamente.

Já os maiores saldos absolutos foram registrados em São Paulo (138.411 vagas, alta de 1,15%), Santa Catarina (33.004, 1,56%) e Minas Gerais (32.894, 0,81%).

Modernização trabalhista

Em novembro, houve 20.429 admissões e 9.340 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente, gerando saldo de +11.089 empregos, envolvendo 6.827 estabelecimentos contratantes. Um total de 222 empregados celebrou mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente.

Já a jornada em regime de tempo parcial teve saldo de +4.683 postos de trabalho no mês, resultado de 16.645 admissões e 11.962 desligamentos. No período, a movimentação envolveu 11.231 estabelecimentos contratantes e 37 empregados celebraram mais de um contrato em regime de tempo parcial.

Benefício Emergencial

Os resultados mostram que o Programa Emergencial de Preservação da Renda e do Emprego tem sido bem-sucedido em evitar demissões durante o período da pandemia. O programa prevê o pagamento de um benefício mensal a trabalhadores que tiveram o contrato de trabalho suspenso ou a jornada e o salário reduzidos.

Dados atualizados até 11 de dezembro mostram que o Benefício Emergencial de Preservação da Renda e do Emprego (BEm) permitiu 20.005.845 acordos entre 9.829.307 empregados e 1.463.948 empregadores no Brasil. Até o momento, o programa desembolsou R$ 31,3 bilhões.

Mais informações sobre o Benefício Emergencial podem ser consultadas no Painel de Informações do BEm.

Zro Bank lança primeiro cartão com cashback retroativo em Bitcoin