Saldo total da carteira de crédito, em julho, deve crescer 10,9%, mostra pesquisa da FEBRABAN

cartão de crédito com nome sujo

O saldo consolidado do crédito em julho deverá apresentar alta de 0,8% na variação mensal e crescimento de 10,9% na variação de doze meses, revela a Pesquisa Especial de Crédito da FEBRABAN, feita com os principais bancos do país, que representam, dependendo da linha de crédito, de 38% a 91% do saldo total do sistema financeiro nacional.

Saiba mais

Como fazer cartão de crédito do Assaí? Confira

Quanto tempo demora transferência TED ser creditada?

Banco Mercedes-Benz oferece condição especial em julho para veículos comerciais

Ouvidoria Banco do Brasil – Registrar Reclamações

Como abrir uma conta no Banco Santander online

A Pesquisa Especial de Crédito da FEBRABAN, que passa a ser divulgada mensalmente, vai retratar as estimativas (prévia) do Saldo e da Concessão de Crédito do mês anterior à sua publicação e os resultados serão reportados pelas instituições financeiras com cerca de uma semana de antecedência à publicação da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito do Banco Central, que será divulgada à imprensa na próxima sexta-feira (28).

Ontem, foi divulgada a Pesquisa FEBRABAN de Economia Bancária e Expectativas, que é feita a cada 45 dias, logo após a divulgação da ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), a qual tem como objetivo captar as percepções das instituições financeiras sobre a última ata do Copom e as projeções para o desempenho do mercado de crédito para o ano corrente e o próximo. A FEBRABAN fará igualmente sua publicação periódica.

“A exemplo do que fizemos ontem com a Pesquisa FEBRABAN de Economia Bancária e Expectativas, hoje estamos tornando pública a Pesquisa Especial de Crédito da FEBRABAN, que tem por objetivo informar as estimativas dos resultados de saldo e concessão de crédito dos bancos”, afirma Isaac Sidney, presidente da FEBRABAN. “Trata-se de mais uma iniciativa da Federação, dentro de seu compromisso de transparência e de aproximação cada vez maior com a população e a sociedade.”

Caso a estimativa da Pesquisa Especial de Crédito seja confirmada na sexta-feira, será a primeira vez desde agosto de 2015 que a carteira total de crédito volta a se expandir a um ritmo anual de dois dígitos. O resultado reforça o papel desempenhado pelo sistema financeiro durante a crise do novo coronavírus, atendendo às necessidades de liquidez, principalmente das empresas.

De acordo com a pesquisa, a expectativa de expansão do saldo da carteira de crédito decorre de um comportamento relativamente similar ao da carteira com recursos destinados às pessoas físicas e jurídicas, que devem crescer 0,9% e 0,7%, respectivamente.

O levantamento revelou que, em julho, a estimativa de crescimento da carteira pessoa física é decomposta pela alta de 1,1% da carteira com recursos livres, e de 0,7% da carteira direcionada. A expectativa de expansão da carteira de pessoa física com recursos livres, captada pela pesquisa, poderá representar a maior alta mensal para a modalidade desde o início da crise, um indício da retomada do consumo pelas famílias. Segundo a pesquisa, em 12 meses, o saldo da carteira de pessoa física total deve apresentar expansão de 8,5%.

No crédito pessoa jurídica, a expansão foi concentrada na carteira com recursos direcionados, cujo saldo deve ter alta 4,5% no mês, beneficiado em grande parte pelo Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), que teve a maior parte de seus recursos liberada em julho. Assim, a variação anual da carteira PJ total deverá apresentar expansão de 14,1%, maior taxa de crescimento da carteira desde setembro de 2013.