Use suas redes sociais a seu favor na busca por emprego

(Foto: Reprodução)

Por Jorge Penillo *


As redes sociais são muito usadas, hoje em dia, para pesquisar vagas de emprego, conversar com recrutadores e interagir com pessoas do nosso ramo profissional, mas muitas ações nestas redes podem comprometer o futuro profissional de quem está trabalhando e, principalmente, de quem está procurando uma oportunidade no mercado de trabalho. Mesmo nos casos em que o processo seletivo não é realizado via redes sociais, os recrutadores costumam pesquisar os perfis dos candidatos e as informações sobre eles ali disponíveis. Hoje, a chance do recrutador pesquisar os perfis das redes sociais de candidatos a empregos é de 100%! O objetivo é confrontar o que os candidatos têm a dizer com o perfil deles nas redes sociais. As principais redes observadas pelas empresas são Instagram, Facebook, Linkedin e Twitter.

Publicidade

Estudo afirma que nove em cada dez pessoas utilizam serviços de streaming

Apple adquire divisão de modems da Intel por 1 bilhão de dólares

Até a sua foto do WhatsApp do número de celular que aparece no currículo tem papel fundamental na busca por um emprego – e a mesma dica vale para o Skype, já que as empresas, agora, estão sempre fazendo as primeiras entrevistas via conferência em vídeo por redução de custos diante do grande número de candidatos disponíveis no mercado.

O nome que você usa nas redes sociais e também no seu e-mail também é um fator que pode descartá-lo num processo concorrido. Usar nomes infantis ou comprometedores pode ser fatal. Temos que pensar profissionalmente a todo momento, pois as empresas perceberam que as redes sociais, num futuro bem próximo, se tornarão grandes ferramentas de divulgação e de negócios. Algumas pessoas já  perceberam que conseguem se tornar profissionais muito bem vistos nas redes sociais e estão usando-as de maneira muito inteligente.


Seguem algumas dicas do que os recrutadores mais pesquisam sobre os profissionais nas redes sociais:

– opiniões extremistas ou irônicas

– descriminação e brincadeiras inoportunas sobre raça, cor, sexo ou religião

– se for se defender de algum comentário maldoso ou provocação de alguém, não brigue publicamente; defenda seu ponto de vista só para a pessoa no privado ou dê seu silêncio para extinguir o conflito

– uso de gírias e palavrões em excesso

– textos com erros de escrita

– grupos de interesse dos quais você participa e as páginas que você curte

fake news  (cheque em sites de confiança antes de sair publicando noticias)

– não critique o seu ambiente ou colegas de trabalho

– cuidado com posts sobre uso de drogas ou bebidas alcoólicas ou apologia a isso e atitudes irresponsáveis, como consumir álcool e dirigir

– não se posicione sobre preferências políticas

– cuidado com o tom para colocar opiniões diferentes das da empresa em que trabalha               

Você precisa se lembrar que, na hora da entrevista, o entrevistador já sabe muito sobre o entrevistado graças a estas pesquisas.

E mesmo para quem está trabalhando, o perigo é eminente. Cada vez vai ser mais comum o desligamento de profissionais por conta de comentários e atitudes nas redes sociais, como o caso recente do torcedor que insultou um jornalista em seu perfil e foi imediatamente demitido por conta da sua conduta. Todos nós procuramos emprego todos os dias, mesmo quando estamos empregados, vide os casos de promoção ou de uma oferta espontânea de uma oportunidade melhor.  E tudo isso independente da posição que a pessoa ocupa ou da empresa em que ela trabalha, pois ela representa o nome da empresa, mesmo considerando que a rede social seja um espaço privado. Quem não tem rede social ou não divulga o nome da empresa onde trabalha no perfil não está mais protegido por isso, pois pode estar presente numa foto com seu nome na rede social de alguém que o conhece ou sabe onde você trabalha, ou seja, não tem pra onde fugir!

Mas qual é o limite do uso privado da rede social? Sabemos que, hoje em dia, muitas empresas desenvolvem até manual de conduta para os funcionários. A linha é muito tênue, uma vez que o profissional representa a empresa, querendo ou não… E algumas empresas já têm até profissionais dedicados a este monitoramento de perfil até para garantir o nível de profissionais que ela quer manter em seu quadro de funcionários, portanto, a dica é ficar atento!

E quais dicas usar a seu favor na hora de buscar emprego? As principais são:

– completar seu perfil nas redes sociais, pois dados faltantes não trazem informações suficientes sobre você

– ter uma foto profissional, sozinho e com boa resolução

– mostrar conhecimento, pois o que as empresas mais buscam hoje em dia é isso

– mostrar que você tem bons relacionamentos – diga com quem andas e direi quem és…

* Jorge Penillo, conhecido como Doutor Carreira, é coach e mentor de liderança e carreira. Professor universitário e palestrante, tem formação em universidades do Brasil e Estados Unidos. É graduado em Administração de Empresas com pós-graduação em Marketing e Negócios e possui MBA em Estratégia Empresarial com especialização em Neurociências.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Convite Pag Bank

Sem consulta ao SPC e Serasa, Deixe o seu e-mail.